CIA. MAPINGUARY
Contando o Modernismo - Semana de 22 

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom

Entre os dias 13 e 17 de fevereiro de 1922, o Teatro Municipal de São Paulo foi ocupado com exposição de quadros e esculturas, leitura de prosa e poesia e muita música.

Era a chamada Semana de Arte Moderna, que chocou muita gente e tornou-se um marco na história cultural do Brasil, por provocar um rompimento com a arte acadêmica dominante até então no País, com a apresentação de uma arte considerada mais brasileira, trazendo uma revolução estética e inovações na Literatura, na pintura, escultura e na música.

Seus principais idealizadores, considerados a primeira geração do Modernismo brasileiro foram Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Victor Brecheret, Manoel Bandeira e o maestro Villa-Lobos. Mais tarde, vieram Tarsila do Amaral, Patrícia Galvão (Pagu), Lasar Segall, entre outros.

A Cia Mapinguary foi criada no ano 2000, por Carlos Godoy com a proposta de apresentar contação de histórias, com narrativa oral cênica. A fonte inspiradora da Cia. é o folclore infantil, teatro de bonecos e os contos populares do Brasil e do mundo.

A Cia. atua em São Paulo, em Bibliotecas Públicas Municipaís, Escolas, Casas de Cultura, Centros Culturais, Livrarias e unidades do Sesc. Em 2014, a Cia foi convidada para o Festival Internacional de Contadores de Histórias Akuentajui/Colômbia. Viaja pelo Brasil, apresentando-se em Feiras Literárias, Encontros de Contadores de Histórias e Congressos de Educação com espetáculos e oficinas.