ORUMALÉ

1/10


 

“O Grupo Orumalé busca uma poética musical pautada na pesquisa da cultura do candomblé AlaKetu, criando pontes com a musicalidade árabe, africana, afro-brasileira e a música  de concerto. Revelando nuances e facetas desta música forjada e retransformada nos terreiros brasileiros.”

 

Todos os arranjos musicais são inspirados nos toques e melodias da tradição Ketu. O nome Orumalé tem um sentido de conjunto (família) e Suíte Ala-Ketu, uma tentativa de aproximação com a cultura musical ocidental.

 

O espetáculo busca abordar de forma contemporânea, a musicalidade, e a mitologia africana viva nos cultos religiosos afro-brasileiros, mais precisamente no candomblé Ketu de matriz Yorubá.

 

Os cultos africanos resignificados e vivos no Brasil tem sua história marcada por uma resistência cultural que enfrenta desafios e oferece matéria prima para pesquisa até os dias de hoje.

 

No Brasil, essa cultura africana originária do Reino Ketu, teve que construir novas maneiras de coexistir em nossa sociedade de modelo eurocêntrico, o que muitas vezes ocasionou no ocultamento dessas práticas e saberes, gerando assim um profundo desconhecimento em relação às religiões afro-brasileiras com sua cultura rica e milenar que trazem um olhar pautado no invisível, na natureza, no sagrado, na noção de família e ancestralidade, na alegria, o sopro divino da vida, o Axé.

INTEGRANTES

- Frederico Dale (violão)

- Ana Eliza Colomar (cello, flauta)

- Monica Santos (percussão)